3 Insigths Poderosos
Para Entender O Que É
Procrastinação E
O Que Não É

Em se tratando de produtividade, não tem assunto mais discutido, debatido e que incomoda a maior parte das pessoas do que a procrastinação.

Lá está você, com uma “to-do list” cheinha de tarefas para realizar no dia e chega aquele momento em que “aquela lista” continua lá, te encarando, te desafiando, lembrando você das tarefas não completadas, o que acaba minando toda a sua energia mental.
Você se sente uma incapaz e fica frustrada por não conseguir fazer o que se propôs fazer, novamente.

Mas você sabe de fato o que é procrastinação e o que não é?

Bem, primeiramente é importante você reconhecer que todo mundo procrastina. Mas, para quem tem TDAH, parece que a situação se complica um pouco mais…

Vamos definir primeiro o que seria um “ladrão do seu tempo”: aquele atraso voluntário que você dá ao realizar uma tarefa importante, apesar de saber que irá sofrer muito caso não faça.

Por acaso, você se identificou com está situação? Parece com algo que te acontece frequentemente?

Deixe-me repetir a última frase: …apesar de saber que você vai sofrer caso não faça…
Talvez você já tenha até desistido de saber o que acontece, pois de tanto repetir esse seu comportamento, você acha que deve ser assim mesmo, e só te resta aceitar, não é verdade?

Existe uma distinção: para classificar o adiamento de uma tarefa como procrastinação, ela deve gerar algum aspecto negativo em não realizá-la.
Por exemplo: se você atrasa uma tarefa porque acredita que outra é muito mais importante ou útil, isto não é procrastinação, desde que o atraso possa, na verdade, ser do seu próprio interesse.

Mas, se você estiver evitando uma tarefa difícil ou chata de se realizar, escapando para uma mais fácil, sem grandes prioridades, como checar/deletar repetidamenteos seus e-mails, não há muito propósito aí.

E também, se você se livrar de uma tarefa que já está no prazo de  ser concluída para ficar enrolando no YouTube por 45 minutos, definitivamente você está dando um tiro no pé.

Outra característica da mais pura procrastinação é: pode parecer muito prazeroso no momento. Te faz sentir bem… Claro que é legal não ter que organizar a casa, mas ao mesmo tempo, você não se sente bem quando se depara com uma grande pilha, vulgo acúmulo, de coisas para organizar.

Vamos virar este quadro e mudar as suas ações? Pronta para entender que isso não te favorece?
Aqui mostro 3 insights para você entender a sua procrastinação e em seguida, uma ação para se mover na direção em superá-la.

1. BURLANDO O TEMPO: “EU AINDA TENHO TRÊS HORAS PARA TERMINAR… “
Burlar o tempo se refere à maneira em que você coloca menos valor nas coisas que estão mais distantes. Não entendeu?

Por exemplo: A dor percebida de deixar de lado um trabalho que tem prazo de entrega daqui a três semanas, tem um peso muito menor se o prazo fosse daqui a três horas.

Você diz: “Aaaah, eu ainda tenho três semanas…” versus “Carambaaaaa, tô ferrada, eu só tenho três horas pra terminar!!!”

AÇÃO: Pesquisas mostram que quanto mais você pensa no seu EU FUTURO, de forma mais responsável o seu EU PRESENTE vai agir.
Portanto, da próxima vez que você se pegar pensando e dizendo, “Não estou com a mínima vontade de fazer isso agora, e além do mais, tenho muito tempo ainda para fazer”, certifique-se de perguntar ao seu EU PRESENTE: ” Como o meu EU FUTURO vai se sentir em relação ao meu EU PRESENTE, adiando tal coisa?”

Lembre-se que toda vez que você procrastinar uma tarefa chata, não prazerosa, você vai se prejudicar de alguma maneira.
Por que eu não faço  logo os exercícios/ trabalho/ relatórios enquanto está tudo fresco na sua mente? (eu presente)
Quanto mais eu procrastinar, mais difícil será para concluir. (eu futuro)

Portanto, crie um mantra quando você se pegar tentada a adiar o que não deveria adiar.
“Meu EU FUTURO não merece se sentir frustrado ou abalado emocionalmente segundo a minha avaliação, assim, meu EU PRESENTE vai dar duro e fazer logo este exercício/ trabalho/ relatório.

2. EVITAÇÃO IRRACIONAL: “TENHO MEDO DE SER CRITICADA SE EU FIZER ERRADO”
A sensação de medo e apreensão que fica estampada no seu rosto ao ver a sua lista de tarefas se deve por esta lista permanecer longa.

Claro, que todos nós evitamos as tarefas que nos amedrontam.
Porém, na maior parte do tempo, esta evitação é irracional.
Por exemplo: algum medo irracional (confronto, fracasso, frustração) de fazer, ou uma esperança irracional de que se você esperar bastante, uma varinha mágica vai mudar completamente a tarefa; ou um pensamento inconsciente de que se você ignorar o que tem que ser feito, irá desaparecer…

AÇÃO: Na próxima vez que você se pegar evitando uma tarefa por medo, pergunte a si mesma: “O quão doloroso isto é de verdade?”
O meu medo é real ou estou supervalorizando ele para me permitir não começar agora mesmo?

3. “EU NUNCA VOU ORGANIZAR O MEU CLOSET SUPER BAGUNÇADO”
No seu livro THE NOW HABIT, Neil Fiore,Ph.D., escreve: “Nunca olhe para um grande projeto e diga, ‘Eu tenho que terminar esta droga’, porque o pensamento de TER QUE TERMINAR é a melhor maneira de invocar toda química mental e física que mantém a sua procrastinação.”

Quanto mais doloroso for ou quanto mais você perceber que uma tarefa possa ser dolorosa, mais você irá querer evitá-la.
A noção de TER QUE TERMINAR ALGO é quase sempre dolorosa e ameaçadora!

AÇÃO: Quando você se deparar com uma tarefa difícil, complicada, NUNCA pense em quando vai terminá-la. Ao invés de fazer isso, pense quando vai começar e agende já esta data.

Coloque na sua agenda, seja de papel ou no smartphone (lista de tarefas que têm um tempo designado e atribuídas para serem feitas, são 50% mais prováveis de serem concluídas).
Quando chegar o momento de fazer, ajuste o alarme para cinco minutos. Então, apenas comece, o que é bem fácil quando você sente que estará comprometido por apenas cinco minutos de trabalho.

Em uma das minhas consultorias de organização com uma cliente que tinha grandes dificuldades para se organizar, quase em lágrimas, ela descrevia a sua casa abarrotada de coisas que não mexia há anos.
Esta situação criava um grande estresse entre ela e o marido, que também trabalha em casa.

A despensa era a área mais aterrorizante para ela – segundo a sua descrição – pois estava lotada de coisas, que simplesmente ela não sabia nem por onde começar a organizar,  já que sequer conseguia abrir a porta!

Nós combinamos em tentar a estratégia do “APENAS INICIE”, com uma expectativa baixa de trabalho de 5 minutos apenas.
Após isso ser feito, ela poderia declarar vitória e seguir em frente em qualquer outra coisa que quisesse organizar.
Esta estratégia permitiu que ela abrisse a porta e no final das contas, ela trabalhou por mais uma hora e marcou uma vitória para organizar o espaço dentro de uma semana.

Entendo perfeitamente que estes insights não sejam suficientes para você superar a procrastinação mas vai ajudar você a despertar.
Nem sempre é fácil apertar a tecla “APENAS INICIE”, quando você sabe que vai paralisar logo no começo ou quando você simplesmente não sabe por onde começar.

Quando isto acontecer, permita-se falhar. Completamente. Jogue fora todas as expectativas de sucesso, mesmo as expectativas de finalizar a tarefa.
A única coisa que você tem a fazer é começar, sem nenhuma cobrança a não ser envidar alguns minutos de esforço.
Seja qual for o tempo, grite: VITÓRIA!

E aí, animada para começar?
Tenha em mente que se você começou já é vitoriosa.
Por que? Porque você entrou em ação e isso é o oposto de procrastinação.

Deixe aqui seus comentários, sugestões ou dúvidas.
E compartilhe com aquela amiga que não sabe por onde começar..

Querendo falar comigo para um atendimento mais personalizado, me chame pelo Whatsapp (21) 99999-6477.

Até breve!
Beijos
Cintia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *