Compradora Compulsiva:
O Que Está Por Trás
Deste Comportamento

Camila mal recebeu o seu salário e o primeiro pensamento que vem à sua cabeça é: “Preciso ir ao shopping comprar aquela blusa que está em promoção, tá tão barata!”

Fernanda está triste, ressentida e se sentindo sozinha. Seu casamento já não é mais o mesmo e a distância entre ela e seu marido aumenta a cada dia.

Toda vez que ela se sente desse jeito, o seu impulso em comprar maquiagem toma conta dela.
Ela diz a si mesma: ” Nada como uma boa compra para levantar o meu astral! Deixa ver o que tem de lançamento em maquiagem.”

Claro, que não preciso dizer que o armário da Camila está abarrotado de roupas, muitas ainda com etiquetas e tantas outras que ela sequer lembra que existem, pois estão bem lá no fundo do armário.

Quanto à Fernanda, o gabinete do seu banheiro e mais tantas outras necessaires que estão na gaveta, estão repletas de produtos e maquiagem que ela não usa; sem falar que muitos produtos se encontram vencidos.

Pode ser que você não ache familiar este comportamento dessas duas mulheres mas também pode ser que você tenha se identificado ou até tenha outro que se assemelhe.

Como saber se você está comprando muito mais do que de fato necessita?

Bem, antes de mais nada, a importância de eu trazer este assunto à tona, está ligada a minha profissão, como Personal Organizer.

Não são poucas as mulheres que me procuram, desesperadas na sua maioria, para dar “uma solução” à bagunça causada pelo excesso de coisas.

Logo no primeiro atendimento, quando vou fazer um mapeamento desta cliente em potencial, procuro colher todas as informações acerca dos seus hábitos, preferências e rotina.

Porém, talvez, por se sentirem à vontade comigo, acabam relatando o seu comportamento compulsivo em comprar.
De maneira alguma, como profissional que sou, estou numa postura de julgar, de criticar ou de condenar.

Perfeitamente, sei que este comportamento -ter muitas coisas- não mostra as verdadeiras razões para a sua desordem, para o seu acúmulo de coisas. Existem outros fatores que estão por trás deste comportamento.

Então, por que você compra? Por qual razão você compra em excesso? De onde vem essa urgência em comprar? O que faz você comprar, mesmo quando deixa de fazer qualquer sentido?

Vou escrever aqui, resumidamente, o que significa ser uma compradora compulsiva.
Todo mundo compra, isso já sabemos. E é desta forma que suprimos as nossas necessidades, como comida e roupa ou outras, como ter um celular ou artigos de casa.

E mais do que nunca, comprar coisas está muito mais fácil, já que temos a internet 24 horas do dia à nossa disposição.

Porém, quando o ato de comprar se torna compulsivo?

A compradora compulsiva tem um desejo incontrolável em compra, no que resulta em despender grande quantidade de tempo e dinheiro nesta atividade.

Geralmente, a pessoa que compra compulsivamente anseia em fazer isso em resposta as emoções negativas, e frequentemente tem problemas nos seus relacionamentos e com as suas finanças, como resultado desse comportamento.

Segundo a psicóloga americana, April Lane Benson, dois fatores principais explicam muito sobre o comportamento compulsivo em comprar.

Primeiro, praticamente todos os compradores compulsivos sofrem de uma baixa autoestima crônica e são inseguros. Também têm grandes dificuldades em gerenciar seus sentimentos.

Como consequência, os compradores compulsivos são propensos a fantasiar sobre o que as suas compras farão por eles, frequentemente enxergando-as como um prêmio para se sentirem melhores sobre si próprios e serem mais desejáveis para as outras pessoas.

O segundo fator diz respeito a como os compradores compulsivos tendem a pensar nas suas vidas e como eles definem felicidade.

Dinheiro e coisas materiais são fundamentais à sua compreensão de ter uma boa vida.

De fato, a maioria destas pessoas faz do ato de adquirir/ter/comprar o objetivo central na vida, imaginando que isso seja a rota para se ter identidade, sucesso e felicidade.

As coisas materiais se tornam o critério, a medida na qual medem o seu próprio valor e dos outros. O patrimônio líquido se torna a sua autoestima.

Novamente, cabe aqui ressaltar que ninguém deseja ter este comportamento, ninguém anseia em viver uma vida onde os impactos negativos na vida são grandes.
Como toda compulsão, merece atenção, respeito e compaixão.

Seja você uma compradora compulsiva ou se você conhece alguém que tem este comportamento, existe uma variedade de recursos para ajudar e apoiar.

O papel da Personal Organizer contribui no sentido de levar a organização para os seus espaços e ajudar, reforçando o processo de transformação dos seus hábitos e comportamentos, junto ao profissional da área de saúde.

Espero que tenha gostado deste post e compartilhe com quem precisar de ajuda.

Deixe suas dúvidas, comentários ou sugestões pois ficarei muito feliz em ouvir você.

E caso queira uma ajuda mais personalizada, me procure, enviando um email para contato@helporganizacao.com.br ou mande mensagem via Whatsapp: (21) 99999-6477.

Até breve!
Beijos
Cintia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *