A Bagunça e
o Estresse

Olá, meus queridos!

Estou fazendo um esforço enorme para não deixar de escrever aqui, mas apesar de não conseguir ainda escrever todo santo dia – é temporário – aqui estou para compartilhar com vocês algo interessante.

Por que da desordem? Apesar das nossas melhores intenções, eu tenho- alguns papéis para organizar, admito – você tem e em qualquer casa que você entrar, haverá alguma bagunça, mesmo que ela esteja artificiosamente organizada atrás das portas fechadas dos armários ou closet ou oculta na gaveta das tranqueiras. E, exatamente por não estar visível não significa que não esteja causando estresse constantemente e vagarosamente.

É certo que você não deseja ser uma bagunceira. Mas quando você se dá conta, acontece. A melhor defesa contra isso, é educar a si própria e descobrir o por que da sua bagunça.

Mais comum do que você imagina, muitas pessoas podem não saber o que é desordem. Alguma coisa é verdadeiramente bagunça quando tem que ser jogada fora; algumas coisas são valiosas mas tomam forma de bagunça por não estarem devidamente armazenadas ou foram compradas e nunca foram usadas.

Ao invés de dizer como você deve se livrar da bagunça, proponho que você observe e tente definir o que causa a bagunça na sua casa. Segundo o dicionário, bagunça é ” Desordem, confusão, sem organização.” Observe os diferentes tipos de bagunça para que você possa se livrar dela.

São tantas as situações que nos levam ao acúmulo que nem percebemos quando acontece.

Vamos ver alguns exemplos:

1- Sabe aqueles objetos, roupas ou qualquer outra coisa que compramos por termos uma ambição mas não sabemos bem o porque de comprarmos? Compramos às vezes para “parecer” mais interessante para alguém ou para nós mesmos. Pense naquela bandeja de prata carérrima que você nunca usou, naquela raquete de tênis da melhor marca depois de ter uma única aula, daquele vestido lindíssimo e caríssimo que foi comprado para uma única vez na vida, da esteira para se exercitar que virou cabide, da bicicleta que continua dentro da caixa para ser montada – e já passou um ano- e que agora tudo isso só faz acumular poeira e roubar o seu espaço.

Este tipo de bagunça é um tipo de bagunça que acontece porque aspiramos ser diferentes daquilo que realmente somos.

E inventamos mil desculpas e justificativas para não nos livrarmos deste acúmulo de coisas que nunca usamos mas “gostaríamos” de usar algum dia. Quando será este “algum dia”?

Não tenho como deixar de tocar no assunto de que mudar não é fácil. Realmente nos agarramos com unhas e dentes à hábitos que nos prejudicam, que não nos acrescentam nada simplesmente porque estamos acostumados e não queremos ter o trabalho -e dá mesmo!- de mudarmos.

Mas, você precisa parar para pensar o quanto isto é prejudicial. Que com o passar dos anos, isso ficará mais acentuado na sua personalidade e para se livrar mais tarde, mais velha, ficará ainda mais difícil.

Que tal começar logo?

Proponho que você tente pelo menos se observar mais, principalmente antes de comprar por impulso.

Como parar de acumular coisas desnecessárias? Siga as dicas:

1 – Não despenda seu dinheiro num novo hobby até você estar realmente engajada nele: O que isto significa? A sabedoria convencional diz que levamos 3 meses no mínimo para incorporarmos um novo hábito. Então, após você passar por este período, poderá se dar o luxo de comprar a mais cara raquete de tênis ou “aquela” esteira para treinar para a meia maratona. Enquanto não passar por este tempo, continue firme no seu propósito , use a raquete antiguinha e faça seus treinos de corrida ao ar livre.

2 – Roupas! Nosso ponto fraco. Não compre uma peça nova e cara a não ser que você tenha algum lugar para ir: Digamos que você passou pela vitrine e viu um vestido de festa chiquérrimo, entrou, experimentou e caiu como uma luva. Agora, falando sério: “Quais são as possibilidades de você usá-lo? Vestidos de festa são apenas para grandes ocasiões e comprar para deixá-lo pendurado é um desperdício de dinheiro e de espaço no seu armário.

3 – Não compre um novo vidrinho de tempero a menos que você tenha uma nova receita em mente para usá-lo dentro dos próximos dias: Por exemplo: Muitas pessoas compram estes vidrinhos porque são bonitos, porque leram que faz bem à saúde usar o tempero tal ou mesmo porque querem incrementar o sabor da comida. Mas cozinham raramente. Então, estes vidrinhos acabam esquecidos no fundo do armário. Se este não for o seu caso, e de fato você cozinhar com bastante frequência e gostar de variar os sabores, pesquise logo a receita com a qual você usará este novo tempero.

4 – Conclusão para reduzir a bagunça: Fique certa de que comprar estas coisas, seja a raquete, a esteira , o vestido de festa e os novos temperos,não farão com que você se transforme numa excelente tenista, numa grande maratonista, numa mulher super chique ou ficará mais saudável. Procure se conhecer melhor para comprar aquilo que tem a ver mesmo com você. Não permita que estas “coisas” adentrem ” na sua casa a não ser que você vá usá-las e MUITO!!!

Após você incorporar este novo hábito, perceberá os benefícios de ter uma casa com o essencial, com aquilo que é usado e aproveitado verdadeiramente.

Viver num espaço com coisas desnecessárias causam um estresse sem tamanho e é impossível você se sentir bem, relaxada, ao entrar num local em que está visualmente congestionado!

Estar num lar cercado pela ordem, pela organização , pela tranquilidade, irá lhe proporcionar um alívio ao chegar em casa, contribuindo para reduzir o estresse de uma dia agitado. Cerque-se das coisas que lhe fazem bem, que manifeste a sua personalidade, as suas preferências. Decore com primor e carinho.

Transforme a sua casa no seu santuário!

Bem, espero que tenham gostado!

Obrigada pelo tempo ao lerem este artigo.

Até breve!

Com carinho,

Cintia